Ex-prefeito não paga fiança de R$ 90 mil e segue preso em Eunápolis

Três ex-secretários foram ouvidos e liberados, mas um ficou preso

Por Redação RADAR 64
Publicado em 17/05/2017 às 20h57
Foto: Gustavo Moreira/RADAR 64  
Polícia encaminha para delegacia espingarda encontrada na casa de Rogério Andrade

ANÚNCIOS

EUNÁPOLIS - O ex-prefeito de Itagimirim, Rogério Andrade (PP), levado coercitivamente para prestar depoimento na delegacia de Eunápolis por uma série de denúncias do Ministério Público, acabou ficando preso por outro motivo: posse ilegal de arma de fogo.

Segundo o delegado Moisés Damasceno, durante a operação Colarinho Branco, realizada na manhã desta quarta-feira (17) pela Polícia Civil, foi encontrada uma espingarda calibre 12 na casa de Rogério. Foi arbitrada uma fiança no valor de R$ 90 mil, que ainda não foi paga.

TEXTO SEGUE DEPOIS DO ANÚNCIO
ANÚNCIOS
Além do ex-prefeito, quatro ex-secretários municipais na gestão de Rogério Andrade foram levados para prestar depoimento. Rilson Neris Miranda também ficou detido, pois a polícia apreendeu com ele munição de fuzil calibre 762, de uso restrito. "Está à disposição da justiça", informou o delegado. Os demais conduzidos, Rafael Amaral, Sérgio Murilo e Wesley José Gonçalves foram ouvidos e liberados no meio da tarde.

Segundo o promotor de justiça Helber Luiz Batista, Rogério Andrade e os ex-secretários são investigados por roubo de bens e documentos da prefeitura, além de condutas de improbidade administrativa, como falta de prestação de contas ao Tribunal de Contas, ausência de portarias de nomeações e das pastas de processos para pagamentos de servidores municipais.

Foto: Gustavo Moreira/RADAR 64  
Rilson Neris Miranda também ficou detido

Rafael Amaral, que continuou como secretário de Educação no novo governo, nega que tenha roubado qualquer documento ou bens da prefeitura e informou que vai entregar um relatório para a polícia que possa ajudar nas investigações. A reportagem não conseguiu falar com os advogados dos demais investigados.

Os mandados para apreensão e condução coercitiva foram expedidos pelo juiz Roberto Freitas e foram cumpridos nos municípios de Itagimirim, Itapebi, Santa Cruz Cabrália e zona rural de Belmonte.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS