Especialista em RH diz como a mulher pode se destacar no mercado de trabalho

Especialista em RH diz que como mãe, esposa e profissional, o importante é ser feliz

Maria Eduarda Toralles / RADAR 64
Publicado em 07/03/2018 às 19h46

TEXTO SEGUE DEPOIS DA PUBLICIDADE

EUNÁPOLIS - No Dia Internacional da Mulher, a administradora de empresas Mariana Figueiredo, de 35 anos, é um bom exemplo de que a mulher pode estar onde ela quer, fazendo o que ela quer. O importante é estar capacitada e preparada para atender as exigências profissionais do mercado de trabalho.

Mariana é hoje especialista em desenvolvimento humano e organizacional de uma empresa da região. Ela conta que, atualmente, o mercado de trabalho busca profissionais que ajudem as empresas a alcançarem bons resultados. “Se você se qualifica, se você estuda, se você tem as suas experiências, adianta, independentemente do sexo, o resultado vai aparecer, seja homem ou mulher, o que vale é o resultado. Essa é a razão de ser das organizações”, destaca.

TEXTO SEGUE DEPOIS DO ANÚNCIO
Sempre sorrindo e mostrando segurança no que diz, Mariana conta que já enfrentou preconceito quando começou a trabalhar, mas que com a maturidade profissional aprendeu a lidar com essas questões. “Eu consegui chegar onde eu cheguei sendo quem eu sou. Com a maturidade profissional, percebi que o que meu colega queria me dizer era que minha imagem era muito importante. E foi isso que fui buscar. Eu fui ler um pouco sobre a importância da imagem no mercado de trabalho, como as empresas buscam isso. E eu me adaptei. Hoje consigo ser a Mariana, não perdi a minha essência. Consigo ser exatamente como eu sou. E consigo me adaptar quando o ambiente pede. De vez enquanto um saltinho é bom”, destaca ela.

Para ingressar no mercado de trabalho há 15 anos, Mariana diz que não precisou abrir mão de ser mãe e de ser esposa. “Acho que a mulher agregou coisas a seu currículo. Eu continuo sendo mãe, esposa, dona de casa e trabalho lá fora. Eu diria que a gente agregou mais atribuições ao nosso currículo”.

Foto: Gustavo Moreira / RADAR 64  
Como mãe, esposa e profissional, Mariana Figueiredo diz que o importante é ser feliz

Ela conta que trabalhar para ganhar o seu dinheiro foi um legado deixado por sua mãe. “Eu diria que eu nasci para ser mãe e que eu nasci para ser uma profissional do mercado de trabalho. Se eu tivesse oportunidade, eu não faria escolhas diferentes. Quando eu decidi ser mãe eu sabia que seria difícil manter a minha atividade profissional e quando eu decidi ser profissional eu sabia que seria difícil ser uma mãe 100% presente. Hoje eu diria que consigo equilibrar muito bem, não falta nada para o meu filho, para o meu marido, para minha casa e nem pra mim”, complementa.

Mariana termina a sua entrevista afirmando que para se destacar no mercado de trabalho, além de ter qualificação, o importante é gostar do que faz. “Capacitação, qualificação e, acima de tudo, ser feliz. Não adianta a gente acordar todo o dia como se estivesse carregando um fardo nas costas. A gente tem que acordar sabendo que vai ali tirar o nosso sustento e vai fazer alguma coisa que nos traz felicidade e voltar para casa e continuar fazendo algo que nos traz felicidade. O que importa é ser feliz”, conclui ela.

SIGA O RADAR 64

RADAR 64© - Todos os direitos reservados 2007 - 2018