Estudante do IFBA / Eunápolis ganha medalha de bronze na OBMEP 2018

Jovem eunapolitano diz que sempre teve predileção pelas disciplinas de exatas

Da Ascom / IFBA
Publicado em 18/12/2018 às 15h19

TEXTO SEGUE DEPOIS DA PUBLICIDADE
EUNÁPOLIS - O estudante do 1º ano do curso de edificações do IFBA Eunápolis, Arthur Sambrano Costa Dantas, foi premiado com uma medalha de bronze em sua primeira participação na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) 2018, promovida pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada com recursos dos ministérios da Educação e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações desde 2005.

TEXTO SEGUE DEPOIS DA PUBLICIDADE

Arthur contou que sempre teve predileção pelas disciplinas de exatas, já tendo, inclusive, atuado em outras competições similares. “Eu gosto de matemática, sempre gostei. No dia da prova tentava resolver o que já sabia e fui um dos últimos a sair da sala e tive a maior nota da escola. Fiquei surpreso quando fiquei sabendo pelo professor Dilo Marquesini”, relembrou o estudante sobre a etapa inicial da olimpíada, realizada no dia 5 de junho deste ano.

Em 15 de setembro aconteceu a 2ª etapa da OBMEP, com questões abertas e em 21 de novembro o resultado da medalha, notícia que deixou a mãe de Arthur, Ana Cristina Lopes Costa, muito orgulhosa. “Eu não sabia que era uma única prova para todo mundo e ele está no início do ensino médio, em teoria estaria menos preparado que os outros, mas ele sempre quis ser desafiado”, disse.

TEXTO SEGUE DEPOIS DO ANÚNCIO
O professor José Alves de Oliveira Neto, coordenador local da OBMEP no instituto, ressaltou que essa não é a primeira medalha conquistada nacionalmente. “Tivemos outros alunos contemplados com medalhas de bronze e prata. Neste ano, 700 alunos do nosso instituto participaram da 1ª fase, sendo 35 deles classificados para a 2ª fase”, afirmou. O docente ainda destacou alguns dos objetivos da olimpíada. “A OBMEP faz parte de um programa maior que visa, entre outras coisas, estimular e promover o estudo da matemática, contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica, possibilitando que um maior número de alunos brasileiros possa ter acesso a material didático de qualidade, identificar jovens talentos e incentivar seu ingresso em universidades, nas áreas científicas e tecnológicas, promover a inclusão social por meio da difusão do conhecimento, entre outros”.

Junto com a medalha, o discente também vai ganhar um curso em um Programa de Iniciação Cientifica Jr. (PIC), com início em 2019. O objetivo do programa é proporcionar o contato dos premiados com determinados ramos da matemática, buscando ampliar o conhecimento científico e auxiliando na preparação para o desempenho profissional e acadêmico.

As cerimônias de premiação vão acontecer no próximo ano.

SIGA O RADAR 64

RADAR 64© - Todos os direitos reservados 2007 - 2018