Acusado de crime que chocou Eunápolis bebia tranquilamente em bar

Preso em flagrante, ele confessou assassinato ocorrido há quase três anos

Por Redação RADAR 64
Publicado em 12/09/2017 às 09h47
Foto: RADAR 64 
Antes do crime, Paulo Gomes disse que chegou a tomar café com a vítima, de quem era amigo

TEXTO SEGUE DEPOIS DO ANÚNCIO
ANÚNCIOS

EUNÁPOLIS - Quase três anos após cometer um assassinato que deixou a população de Eunápolis indignada, Paulo Gomes Pereira, de 39 anos, foi preso por volta das 19h30 de segunda-feira (11).

Com mandado de prisão decretado pela justiça, ele bebia descontraidamente em um bar no Ponto Maneca, zona rural do município, quando alguém o reconheceu e ligou para a polícia anonimamente. Os policiais foram imediatamente ao local e conseguiram prendê-lo.

TEXTO SEGUE DEPOIS DO ANÚNCIO
ANÚNCIOS
Mais conhecido como Paulinho da Cigana, o acusado confessou ao delegado Eridelson Bastos, durante interrogatório na mesma noite, que era amigo da vítima, o trabalhador rural Sebastião Pereira da Costa, então com 50 anos.

Segundo o delegado, na noite de 30 novembro de 2014, ao tomar conhecimento que Sebastião havia recebido o salário, Paulo Gomes foi até a sua casa, no distrito da Colônia. Os dois chegaram até a tomar café juntos.

"Ele declarou que, como não achou outra forma de roubar o dinheiro do lavrador, a única opção foi matá-lo e o fez de forma brutal", frisa o delegado em entrevista ao RADAR 64.

Sebastião foi morto a pauladas, chegando a ter uma estaca enfiada na boca. Logo em seguida, o assassino pôs fogo na casa, com o corpo da vítima dentro.

OUTRA SUSPEITA - Quase sete meses antes de matar o trabalhador rural na Colônia, Paulo Gomes teria assassinado outra pessoa. Segundo investigações da Polícia Civil, em abril de 2014, ele participou do assassinato e ocultação do cadáver de Luiz Carlos Seguro, gerente de uma fazenda na região do Ponto Bahia, zona rural eunapolitana. O corpo foi encontrado dois dias depois debaixo de entulhos.

PÁGINA SEGUE DEPOIS DO ANÚNCIO

ÚLTIMAS NOTÍCIAS