Promotorias de Justiça de Itapebi e Itagimirim devem ser incorporadas à de Eunápolis

Para MP, não faz sentido manter promotoria onde não existe comarca

Por Redação RADAR 64
Publicado em 01/08/2017 às 18h21
Foto: Reprodução/Internet  
Fusão das promotorias é uma ação que também está acontecendo no âmbito federal

TEXTO SEGUE DEPOIS DO ANÚNCIO
ANÚNCIOS

EUNÁPOLIS - Dentro de dois meses, o Ministério Público da Bahia vai desativar 33 pequenas promotorias de justiça no interior do estado, dentre elas as de Itagimirim e de Itapebi. Essas unidades - que são de entrância inicial e não possuem promotores titulares, vão ser agrupadas à 2ª Promotoria de Eunápolis.

No início de julho, o Tribunal de Justiça (TJ-BA) já havia desativado as comarcas destes dois municípios. Da mesma forma, elas serão incorporadas ao fórum de Eunápolis.

TEXTO SEGUE DEPOIS DO ANÚNCIO
ANÚNCIOS
"O Tribunal de Justiça tomou a dianteira na desativação de comarcas. Nós vimos a necessidade de fazer o mesmo porque é incomum de haver uma promotoria instalada em um município onde não haja comarca. A decisão, aprovada por unanimidade no Colégio de Promotores, também leva em conta questões de natureza econômica e de regionalização", afirmou Artur Ferrari, em entrevista ao Correio.

Ele afirmou ainda que a fusão das promotorias é uma ação que também está acontecendo no âmbito federal e ocorre há alguns anos em outros estados, como Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Maranhão.

Atualmente, o Ministério Público tem 482 Promotorias de Justiça no interior da Bahia e outras 206 na capital do estado.

PÁGINA SEGUE DEPOIS DO ANÚNCIO

ÚLTIMAS NOTÍCIAS