Detento que fugiu na saída da Páscoa é recapturado em Eunápolis

Ele cumpre pena de nove anos por tráfico de drogas

Marina Caldeira / RADAR 64
Publicado em 23/07/2019 às 21h02

EUNÁPOLIS - Um foragido do Conjunto Penal de Eunápolis foi recapturado pelo Serviço de Investigação da Polícia Civil, na tarde de segunda-feira (22), no bairro Parque da Renovação. Wanderson Ramos de Souza, 26 anos, cumpria pena de nove anos por tráfico de drogas. Ele passou a ser considerado foragido depois de ter sido beneficiado pela saída temporária da Páscoa, como explica o delegado Bernardo Pacheco, titular da Delegacia Territorial.

“Ele havia se evadido do Conjunto Penal de Eunápolis em abril de 2019. Teria que retornar após a saída e não o fez. Desde então, passou a ser considerado foragido”, informou o delegado.

O detento chegou a ser irônico quando perguntado o motivo de ter preferido fugir. “Ficar preso não é muito bom não. Se me soltarem, eu fugirei de novo”, disse Wanderson.

A primeira investida dos policiais foi no fim do mês passado. As investigações levaram a polícia até o local onde Wanderson estaria escondido. “A equipe de investigação chegou ao local onde ele poderia estar homiziado, no Parque da Renovação. E ele realmente estava no local. Na chegada da equipe, acabou evadindo pelo fundo da casa, sem que conseguíssemos lograr êxito em prendê-lo. Na casa dele foram encontradas maconha e cocaína”, frisa o delegado.

“Primeiramente que eu não estava dentro de casa, eu estava na rua. A casa realmente era minha, mas a droga não era”, alegou o acusado.

Foto: Gustavo Moreira / RADAR 64  
Delegado Bernardo Pacheco, titular da 1ª Delegacia Territorial de Eunápolis

Depois de uma nova tentativa, os policiais conseguiram prender Wanderson. “Ontem, os policiais conseguiram localizar Wanderson traficando em um beco no Parque da Renovação e realizaram a sua prisão. Ele portava maconha e cocaína. O delegado de plantão lavrou o flagrante e ele está agora à disposição da Justiça. Vai responder por tráfico, mais o trafico do mês passado e o mandado de prisão  por ter se evadido do presídio de Eunápolis”, explica Bernardo Pacheco.

 “Fui pego com maconha pro meu próprio consumo, mas traficando não”, se defendeu o acusado.

O delegado destacou a importância que as prisões de traficantes representam para a sociedade. “Porque o tráfico, em si, não é só prejudicial para quem está comprando, mas no entorno do tráfico há crimes-satélites, como homicídios, roubo, furto, extorsões. Essa briga de facções gera homicídios, que podem acabar atingindo pessoas inocentes”.

Depois de tudo isso, Wanderson, que está preso desde 2016, declarou que agora pretende mudar de vida. “Terminar de pagar o restante de ‘cadeia’ e sair e procurar um novo rumo para a minha vida. Vou dar um basta no crime, agora”, finalizou Wanderson.

SIGA O RADAR 64

RADAR 64© - Todos os direitos reservados 2007 - 2018