Problema elétrico impede hemocentro de Eunápolis de captar sangue

Segundo equipe técnica, situação será normalizada no próximo dia 05 de junho

Marina Caldeira / RADAR 64
Publicado em 23/05/2019 às 11h38

EUNÁPOLIS - Já imaginou querer e não poder salvar vidas? É assim que os doares de sangue da região estão se sentindo. Há cerca de três meses, o Hemocentro Regional de Eunápolis, responsável por suprir a demanda em oito municípios, não está coletando sangue na sua sede devido a um problema técnico na rede elétrica.

“Eu me sinto inútil, porque depois de três anos recebi como uma obrigação salvar vidas e [realmente] salva vidas. Eunápolis é responsável por toda essa região, e qualquer um de nós pode, a qualquer momento, precisar desta doação, e não vai ter. Meu sangue é O+, é raro. Tanto o meu quanto o do meu filho, então a gente pode doar pra muita gente”, lamentou a massoterapeuta Rose Oliveira.

E quem foi tentar doar pela primeira vez também ficou incomodado com a situação.

“É meio complicado. A doação pode salvar algumas vidas e estou sem condições de estar cooperando com esse processo de salvamento, de ajudar as pessoas. É meio difícil”, frisou o comerciante Ricardo Reis.

Foto: Gustavo Moreira / RADAR 64 
Coordenadora administrativa do homocentro, Caroline Pimenta, diz que problema será resolvido até 5 de junho

Como o problema na rede elétrica atinge principalmente a sala da coleta, os funcionários do hemocentro estão intensificando as campanhas externas nos municípios da região para coletar bolsas de sangue, que são armazenadas na unidade.

“Eu quero deixar bem claro que a nossa unidade não está deixando de atender a região. Ela não está desassistida. A gente tem um estoque, devido a essas campanhas externas. Quando precisamos de algum hemocomponente, nós recebemos bolsas de sangue de Teixeira de Freitas, de Santo Antônio de Jesus, pois trabalhamos em rede”, destacou a coordenadora administrativa, Caroline Pimenta.

No entanto, com a proximidade dos festejos juninos, tem muita gente preocupada se o estoque vai ser suficiente para poder atender uma possível alta na demanda.

Foto: Gustavo Moreira / RADAR 64 
Massoterapeuta Rose Oliveira lamenta não poder doar sangue raro e salvar vidas

“Na verdade, eles estão lá, recebem as pessoas, agradecem por a gente ter ido. Eles não têm culpa, aquelas pessoas que ali estão não têm culpa, o Estado sim. Está vindo agora festa para a cidade e se acontecer algum tipo de acidente e essas pessoas virem a precisar de sangue? Eu estou aqui pronta para doar, meu filho também, mas eles não têm como receber”, acrescentou a massoterapeuta.

O banco de sangue tem previsão para retornar a coleta no próximo dia 05 de junho.

“A parada para reestruturação do prédio aconteceu no finalzinho de fevereiro. Demora um pouco porque tem que gerar um projeto elétrico, mas está tudo dentro do prazo, dos trâmites legais. A gente já tem previsão de 15 dias. Então, está sendo muito bem resolvido”, finalizou a coordenadora.

SIGA O RADAR 64

RADAR 64© - Todos os direitos reservados 2007 - 2018