Sicoob realiza assembleia, presta contas e distribui sobras aos cooperados

Referência na região, cooperativa fechou 2018 com resultado superior ao crescimento econômico do país

Redação RADAR 64
Publicado em 15/04/2019 às 16h56

ITAMARAJU - Com sete agências na Costa do Descobrimento, o SICOOB fechou o ano de 2018 com um resultado de R$ 1.197.324,51. Os recursos depositados na Centralização Financeira somaram R$ 25.954.455,56. Em relação à captação por meio de depósitos, a cooperativa de Crédito do Médio Sul Baiano totalizou R$ 44.437.722,37 e apresentou uma evolução de 42% em relação ao mesmo período de 2017.

No final do exercício de 2018, o Patrimônio Líquido do Sicoob Costa do Descobrimento era de R$ 15.318.030,62 e o quadro social composto por 4.381 cooperados, havendo um acréscimo de 18,7%.

De acordo com o presidente do Conselho de Administração, Antônio Francisco de Azevedo Moraes, esses números representam um retorno de 6,3% sobre o patrimônio líquido e, comparativamente, um crescimento maior que a economia do Brasil no mesmo ano.

“Tivemos um crescimento [em 2018] maior que o crescimento econômico do nosso país e isso é muito bom porque demonstra a confiança que os associados têm na instituição, constatou. “Para 2019 a nossa expectativa é o desenvolvimento do sistema cooperativista dentro do atual governo. Nós já passamos por crises financeiras e econômicas, mas nossa expectativa é que a economia se estabilize e cresça”, completou.

RESULTADOS - Esses e outros números foram apresentados durante a 23ª Geral Ordinária que o Sicoob Costa do Descobrimento realiza anualmente a fim de prestar contas das atividades nas sete agências, reunindo conselheiros, diretoria, colaboradores, cooperados e familiares na noite desta sexta-feira (12), no salão de eventos da ‘Loja Maçônica Deus, Caridade e Justiça’, na Rua D. Pedro I, na cidade de Itamaraju.

Foto: RADAR 64 
Números foram apresentados durante a 23ª Geral Ordinária que o Sicoob Costa do Descobrimento

Sobre a relevância do evento para o sistema cooperativista, o conselheiro Antônio Moraes salienta a importância “de que os associados vejam, com bastante transparência, os números do balanço”. E comemorou: “Só lhe digo uma coisa, o resultado é positivo”.

O relatório detalhado e impresso da prestação de conta relacionada à movimentação ao longo de 2018 foi entregue a todos os presentes. Para os associados Sicoob, as assembleias são oportunidades de acompanhar o desempenho da cooperativa da qual fazem parte e participar das decisões a respeito da instituição. Para Antônio Moraes, isso é compromisso com a transparência.

“Nós somos cooperativa e o mais importante é que o lucro - que nós chamamos de sobras – é o resultado de aplicações que hoje nós vamos apresentar ao pessoal. Esse valor ele é redistribuído. Ele retorna para os associados. Enquanto nos bancos o lucro volta para as matrizes onde elas existem, aqui fica, cada associado recebe de volta esse dinheiro capitalizado. Ou seja, isso é patrimônio dele”, reiterou.

MUDANÇAS NO ESTATUTO - Além da demonstração das operações financeiras, apresentada pelo vice-presidente da Confederação Nacional de Auditoria Cooperativa (CNAC) e diretor administrativo do Sicoob-Bahia, Alexandre do Carmo Silva, a reunião foi precedida de Assembleia Geral Extraordinária para aprovar a alteração do Estatuto Social com o intuito de se adequar às novas regras do Banco Central e à Lei Complementar 161 para o setor de crédito cooperativista nacional.

Foram apresentados também os investimentos no programa de desenvolvimento sustentável, representadas em ações de apoio à APAE; casamentos comunitários que oficializaram mais de mil uniões estáveis; amparo à Associação Anjos de Patas; campanhas de incentivo à doação de órgãos, além de palestras sobre cooperativos e apoio a atletas de futebol, jiu-jitsu e ciclismo.

Foto: RADAR 64 
Diretor administrativo do Sicoob-Bahia, Alexandre do Carmo Silva

Houve ainda um momento de socialização para discutir os anseios e a realidade social de cada comunidade onde a cooperativa está presente, além do sorteio de dois veículos zero km (um Fiat Mobi e uma Strada) e mais uma dezena de brindes como televisores, ventiladores e smartphones.

Foto: RADAR 64 
Houve orteio de dois veículos zero km e outras dezenas de prêmios

No final foi servido um coquetel aos presentes. Os ganhadores dos veículos, a Escola de Dança CNA e o taxista Wilislan de Oliveira Ferreira, associados das agências de Itamaraju, vão receber os prêmios posteriormente.

CRESCIMENTO - Na Costa do Descobrimento, o Sicoob é referência para o mercado financeiro. Em Itamaraju, por exemplo, a cooperativa tem duas agências [cidade alta e cidade baixa] e dos 4.450 cooperados [números de abril/2019] nas sete unidades, basta dizer que mais de 25% são associados da cidade que também é sede do posto mais rentável.

Já a mais nova agência, aberta em 2018, é a Porto Seguro. As demais agências estão nas cidades de Alcobaça, Eunápolis, Itabela e Prado. Todas elas em fase de expansão e fidelização do associado visando gerar soluções financeiras sustentáveis, como aponta o presidente do Conselho Administrativo.

BALANÇO SOCIAL - A expressividade do Sicoob no mercado cooperativista de crédito nacional pode ser aferida pelos seus 23 anos de atuação na região Sul da Bahia, com relevância no cenário econômico e social, sem perder o foco na solidez e na transparência das suas operações financeiras. Para tanto, o sistema vem aprimorando os mecanismos internos de controle e segurança, como ressaltou Antônio Moraes.

Foto: RADAR 64 
Presidente do Conselho de Administração, Antônio Francisco de Azevedo Moraes

“O cooperativismo de crédito não visa somente o interesse monetário. É claro que tem que ter o equilíbrio monetário, os resultados positivos, porque senão não sobrevive, mas além das normas financeiras nós também temos sete princípios a seguir e um deles é desenvolvido das comunidades onde se instala uma agência do Sicoob”, completou.

Por causa disso [anunciou o presidente], o Sicoob acaba de aderir ao Instituto Sicoob, criado em 2004, no estado do Paraná, com o objetivo de difundir a cultura cooperativista e contribuir em busca de promoção do desenvolvimento sustentável fundamento no quinto princípio do cooperativismo: Educação, Formação e Informação.

“Dessa forma é possível exercer a cidadania e promover a sustentabilidade do negócio cooperativo”, afirmou.

SIGA O RADAR 64

RADAR 64© - Todos os direitos reservados 2007 - 2018